Autores em extinção? Há alternativas…

Nos anos de 1940 a 1960, a dita época dos baby boomers, quando pouco se preocupava de onde vinham os ovos, o alface ou o leite que consumíamos, a dieta da maioria das pessoas tinha muito açúcar, farinhas e refrigerante. De alguns anos para cá e cada vez mais isto se fortalece, as pessoas queremContinuar lendo “Autores em extinção? Há alternativas…”

O papel de mãe quando os filhos sofrem…

Que bom seria poder sentir a dor no lugar do filho, tocar o ferimento e ele sarar na hora, ter uma varinha mágica para fazê-lo parar de chorar quando está triste. Ter a capacidade de absorver a carga do mundo e deixá-lo sorrindo e aproveitando o que a vida traz de melhor. Mas criamos osContinuar lendo “O papel de mãe quando os filhos sofrem…”

O autor no Dia do Escritor

Neste Dia do Escritor pensamos em autoria, em autor, mas o que define um autor? Ele define-se pelo processo criativo? Pelo quanto trabalha? As leis, os tratados internacionais, protegem o autor, definem exatamente o que vem a ser autoria? Como adequar o conceito de autoria a nova realidade de hiperlinks midiaticos? E efeitos de copia eContinuar lendo “O autor no Dia do Escritor”

Países desenvolvidos vs em desenvolvimento e o respeito às leis e regras de convívio

Parada esperando o farol para pedestres sinalizar o verde em Berlim em uma esquina qualquer, sem que nenhum carro pudesse ser avistado em qualquer direção, mas onde nenhum cidadão sequer ensaia sair andando ainda sem o “Apelman”, que é o “homenzinho” que aparece com a luz vermelha ou verde no farol, símbolo da cidade, sinalizarContinuar lendo “Países desenvolvidos vs em desenvolvimento e o respeito às leis e regras de convívio”

A internet das coisas e a “coisificação do ser humano”

Vivemos a época em que os gadgets, como os smartphones, atuam como extensões dos nossos corpos. Quando estamos sem eles, se a bateria acaba, por exemplo, o sentimento é de vazio, de algo que falta em nosso próprio corpo, algo indispensável. Como achar um telefone? Um compromisso na agenda? O caminho para um destino? AContinuar lendo “A internet das coisas e a “coisificação do ser humano””

Quem tem medo do Lobo Mau!

Quem tem crianças na faixa dos 3 anos de idade talvez reconheça neste texto algo familiar. Ninguém ensina aos pais como lidar com os monstros, aqueles que até são bonitinhos, mas assustam do Monstros SA, o lobo mau da Chapeuzinho vermelho, a raposa escondida da Dora, a bruxa dos contos de fadas, madrastas más eContinuar lendo “Quem tem medo do Lobo Mau!”

O lápis de ponta e a máquina de escrever e como mudam as formas criativas

Na coluna do Ruy Castro há dois dias na Folha de SP: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/111590-o-lapis-de-ponta-perfeita.shtml ele falou como ainda hoje se pode viver de apontar os lápis grafite. Várias profissões ainda o utilizam e consideram importante tê-los apontados. Contou a história de um profissional apontador americano. Deu como exemplo de quem os utiliza por aqui o HelioContinuar lendo “O lápis de ponta e a máquina de escrever e como mudam as formas criativas”

De celular em punho

Há algumas profissões que envolvem a dedicação de um profissional a uma pessoa por um determinado período de tempo do dia. Por exemplo, o personal trainer, a babá e tantos outros que fazem das horas dedicadas aos seus clientes sua profissão e consequentemente seus ganhos. Espera-se destes profissionais que dediquem as tais horas sem distrações.Continuar lendo “De celular em punho”

Pensar é tão importante quanto respirar

Lendo o artigo de hoje no Estadão “A enxurrada de enganosas grandes ideias” de Neal Gabler do The New York Times, e parando para pensar alguns minutos podemos depreender o quão é verdadeiro para muitos dar conta da enxurrada de informações que recebemos e buscamos todos os dias. Entretanto, o quanto precisamos delas e oContinuar lendo “Pensar é tão importante quanto respirar”