O paradoxo das redes socias

Há uns dois anos li uma notícia de que 2014 seria o ano em que o Facebook perderia milhões de usuários. Quando lançaram ações na bolsa novamente o assunto foi comentado. Vivemos uma época em que as diversas tribos e comunidades ativas na internet surfam conforme as ondas as levam. Migram de uma hora paraContinuar lendo “O paradoxo das redes socias”

Quem tem medo do Lobo Mau!

Quem tem crianças na faixa dos 3 anos de idade talvez reconheça neste texto algo familiar. Ninguém ensina aos pais como lidar com os monstros, aqueles que até são bonitinhos, mas assustam do Monstros SA, o lobo mau da Chapeuzinho vermelho, a raposa escondida da Dora, a bruxa dos contos de fadas, madrastas más eContinuar lendo “Quem tem medo do Lobo Mau!”

O lápis de ponta e a máquina de escrever e como mudam as formas criativas

Na coluna do Ruy Castro há dois dias na Folha de SP: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/111590-o-lapis-de-ponta-perfeita.shtml ele falou como ainda hoje se pode viver de apontar os lápis grafite. Várias profissões ainda o utilizam e consideram importante tê-los apontados. Contou a história de um profissional apontador americano. Deu como exemplo de quem os utiliza por aqui o HelioContinuar lendo “O lápis de ponta e a máquina de escrever e como mudam as formas criativas”

USP São Carlos 24 anos depois. Trotes hostis de hoje são uma vergonha

http://youtu.be/9Pr8bKedmVc Quem assiste a este video e foi aluno de São Carlos como eu reconhece facilmente que trata-se das instalações do CAASO, o centro acadêmico da USP, palco das festas, mas também das assembléias de greves. Difícil é reconhecer nos alunos, calouros e veteranos, alguma semelhança com os anos 80. Li hoje o artigo sobreContinuar lendo “USP São Carlos 24 anos depois. Trotes hostis de hoje são uma vergonha”

A mãe e a culpa

Imagino que toda mãe deva ter sentimento de culpa vez por outra ao deixar seus filhos para trabalhar, ter um momento seu, nos momentos de lazer e também para se permitir namorar o pai destes mesmos filhos. Hoje para mim foi muito emblemático. Por uma hora ficaria longe da minha família para praticar um esporteContinuar lendo “A mãe e a culpa”

Educação em debate no pós-carnaval

Esta semana dois artigos interessantes propuseram o debate sobre questões atuais da educação brasileira. O primeiro publicado por Luiz Guilherme Piva em Tendências/debates da Folha de SP na quarta, dia 13, onde aponta duas questões, a primeira em torno da progressão continuada no âmbito do ensino básico e, a segunda, a proliferação de instituições deContinuar lendo “Educação em debate no pós-carnaval”

As empregadas domésticas, entre a profissionalização e a informalidade

Coincidentente, nos últimos dias alguns artigos sobre o assunto chamaram a atenção. Insiro os links a seguir para que possam ler. O que nenhum deles aborda é o quão ainda é informal este mercado. Neste momento estou procurando uma pessoa para substituir uma funcionária que ficou na minha casa por 8 anos. Quando chegou nuncaContinuar lendo “As empregadas domésticas, entre a profissionalização e a informalidade”

Para descobrir o prazer de estudar e não parar de aprender…

Há inúmeros exemplos de pessoas que decidem voltar a estudar depois de há muito terem deixado os bancos escolares, quaisquer que sejam eles. Mesmo que ainda sejam uma minoria são pessoas que adquirem coragem e perdem a vergonha de sofrerem qualquer constrangimento pela idade, pela mudança de área, por começar de novo, por reaprender. MuitosContinuar lendo “Para descobrir o prazer de estudar e não parar de aprender…”

9 1/2 semanas de amor, 50 tons de cinza e coluna de Ruy Castro na Folha de SP “ejaculação precoce”

Desde que apareceram pela primeira vez as críticas e resenhas sobre o livro “cinquenta tons de cinza”, ora uma trilogia, ficou visível a relação quase direta com o filme “9 1/2 semanas de amor”, agora um cult dos anos 80, este sim um conteúdo erótico que evolui de paixão romântica à relação destrutiva repleta deContinuar lendo “9 1/2 semanas de amor, 50 tons de cinza e coluna de Ruy Castro na Folha de SP “ejaculação precoce””

A guerra do sushi e o sentimento de indignação

Os mais sábios aconselham a preocupar-nos apenas com o que podemos mudar. De que adianta criticar o mundo, a política, as guerras e outras mazelas se na maioria das vezes não podemos fazer nada a respeito? Difícil seguir este conselho. Ao ler hoje o artigo do caderno Ilustríssima da Folha de SP, que fornece umContinuar lendo “A guerra do sushi e o sentimento de indignação”