Como medir habitos de leitura por meio do consumo e dos programas da TV

Lendo o artigo do Claudio de Moura Castro na última edição da revista Veja lembrei-me de uma triste constatação recente ao assistir de relance na academia a um programa da Ana Maria Braga onde ela desafiou a si propria e mais dois telespectadores a ficarem “desplugados” por 24h. No artigo do Claudio ele descreve comoContinuar lendo “Como medir habitos de leitura por meio do consumo e dos programas da TV”

Religião para ateus por Alain de Botton

Ontem tive o privilégio de participar da palestra de Alain de Botton, realizada pelo Fronteiras do Pensamento na Sala São Paulo. Fui a convite de Jorge Forbes ao qual sou muito grata. Já admirava Alain desde que havia lido no ano 2000 “Consolations of philosophy”. De lá para cá e antes disto ele teve váriosContinuar lendo “Religião para ateus por Alain de Botton”

EEF a nova crise

Em tempos de crise mundial é interessante também observar outros aspectos da vida cotidiana para de alguma forma refletir sobre até que ponto crises são pessoas errando tentando acertar, escolhas erradas propositais, inconsequentes, irresponsáveis, onde o que mais se omite é o senso comum, da vida em comunidade, do indivíduo em prol do coletivo. MasContinuar lendo “EEF a nova crise”

Excesso de livros publicados ou falta de leitores

Em tempos de pós-feira de livros de Frankfurt muito foi dito sobre o excesso de livros sendo editados no Brasil e a dificuldade em escoar esta produção face ao número limitado de livrarias no Brasil. Se, por um lado, somos um país com poucas livrarias (por exemplo na favela de Paraisópolis não há nenhuma, masContinuar lendo “Excesso de livros publicados ou falta de leitores”

O paradoxo da Apple

Há algum tempo escrevi um post neste blog intitulado “cercada pela Apple”. Nele eu descrevia as maravilhos dos diversos gadgets da Apple e a dependência que criamos ao conviver com eles. Com a triste notícia do falecimento de Steve Jobs que há anos vinha lutando contra os problemas de saúde decorrentes do câncer podemos pensarContinuar lendo “O paradoxo da Apple”

A meditação como item de consumo

Admiro o artista que cria um tempo para criar. Pode ser na madrugada sem o despertar constante daquele estado de concentração representado pelo telefone que toca, os e-mails que chegam, os afazeres, família, trabalho etc. Cada artista acha sua forma de se ausentar do real como forma de ouvir as vozes das ideias. Na semanaContinuar lendo “A meditação como item de consumo”

“Literatura vai de menos 1 a 40 graus”, artigo de hoje no Estadao de Ignácio de Loyola Brandão

Ler o artigo do Ignácio hoje fez surgir um sentimento de esperança para esse nosso imenso Brasil. Com feiras do livro espalhadas por todo o Brasil, estimula-se a leitura, o debate, a criação, a descoberta de novos talentos. O texto de Ignácio nos faz querer partir hoje mesmo para a próxima feira do livro. ConhecerContinuar lendo ““Literatura vai de menos 1 a 40 graus”, artigo de hoje no Estadao de Ignácio de Loyola Brandão”